Newsletter Opel

Newsletter Opel

Receba as últimas informações sobre a Opel e os produtos e serviços Opel diretamente na sua caixa de correio eletrónico.

Registe-se agora!

CONCEPT CAR GTC PARIS: PAIXÃO POR MOVIMENTO.

Apresentação no salão Mondial de l’Automobile 2010 em Paris.

24/Set/2010

  • Modelo compacto com linhas dinâmicas;
  • Engenharia alemã: 2.0 Turbo DI com 290 cv; suspensão adaptativa FlexRide;
  • Acessível: o ‘dream car’ que está ao alcance;
  • Ímpeto: modelo traduz marca revigorada.

O concept car GTC Paris revela o lado apaixonado da Opel. O objectivo é mostrar de que forma a marca alemã pode traçar a direcção do design agora definida pela marca, criando uma interpretação muito dinâmica e emocional.

 

O GTC Paris foi desenhado recorrendo a amplas linhas que reforçam o seu carácter dinâmico. A mecânica beneficia de variadas evoluções integradas numa unidade 2.0 Turbo com injecção directa, uma nova versão da suspensão adaptativa FlexRide e um diferencial autoblocante na transmissão às rodas da frente.

 

Este dois volumes desportivo de três portas apresenta-se com um design simples mas expressivo e simultaneamente arrojado e marcante.

 

Em consonância com o ADN Opel, o GTC Paris foi concebido para se tornar em mais um elemento de demonstração do vigor da marca alemã. Esta energia é igualmente veiculada pela vibrante cor Vermelho Liquid Metal da carroçaria.

 

A par da variante Sports Tourer da nova geração Astra, que se estreia igualmente no salão automóvel de Paris, o GTC Paris é a forma como a Opel encara o próximo passo lógico de uma gama renovada.

Design exterior: linhas musculosas como os tendões de um atleta

Com 4,46 metros de comprimento, o GTC Paris adopta as medidas ideais para um desportivo compacto, mas ainda oferece espaço no habitáculo para cinco passageiros.


Muitos modelos icónicos começaram a ser desenhados pelo perfil. Vários deles conseguem ser reconhecidos com dois ou três traços esboçados num papel. Assim acontece com o novo concept car da Opel. De perfil, os desenhadores maximizaram a tensão ao limitarem o número de linhas vincadas. Semelhantes aos tendões de um velocista, estas linhas criam tensão e produzem uma forma esculpida. São elas que servem de uma base onde estão ligadas as superfícies e vários elementos destacados, assentando também nas rodas, de forma muito atlética.


A assinatura da Opel ‘lâmina’ – uma linha fina mas vincada, esculpida no flanco - está colocada no mesmo sentido que foi visto pela primeira vez no Insignia. Uma segunda linha parte do puxador da porta alargando-se para a secção traseira, colocando em evidência a largura generosa da carroçaria. A terceira linha, salientada através de um acabamento em alumínio polido, segue a silhueta do tejadilho e acentua o desenho dos vidros, guiando os olhos até ao proeminente spoiler traseiro integrado com o tejadilho.


A postura musculada e a largura tornam-se mais evidentes na secção traseira, onde as proporções da carroçaria são mais imponentes. Estas características sobressaem também graças aos farolins traseiros LED que produzem uma nova interpretação do tema ‘asa’ da nova linguagem de design da Opel.


O desenho da secção dianteira é simples mas pleno de carácter, destacando-se o vinco central do capôt, uma imagem de marca da Opel. Esta linha é acentuada pelos faróis esguios em forma de olho de águia, que actuam como parêntesis para enquadrar a barra metálica da grelha superior e a grelha inferior volumosa que expressa o carácter desportivo do automóvel. As luzes diurnas, de ‘LED’, destacam-se com elementos cromados cuidadosamente desenhados, tornando o farol numa peça de escultura que pode destacar-se por si só.


A aerodinâmica das jantes de 21 polegadas é optimizada com elementos de fibra de carbono que encerram os tampões centrais.

Habitáculo focado no condutor

Fazendo eco das formas esculpidas e fluidas da carroçaria, as principais características do habitáculo do GTC Paris são as linhas amplas e a utilização arrojada dos tecidos.

 

O habitáculo está centrado no condutor, utilizando a cor num esquema positivo/negativo: enquanto o banco do condutor se apresenta em vermelho debruado a preto, todos os outros componentes do habitáculo estão forrados a preto com costuras vermelhas.

 

A inspiração para este modelo, uma citação do romance de Richard Bach, Jonathan Livingston Seagull, está gravada a laser em caligrafia itálica no banco do condutor “... and the speed was pure beauty” (e a velocidade era pura beleza).

 

Os bancos dianteiros desportivos foram especialmente desenhados para o GTC Paris. Os seus contornos e grafismos de linhas agressivas, que complementam na perfeição o espírito dinâmico do modelo, estão delineados em titânio e preenchidos com rede preta, retomando um elemento de design presente nas inscrições de fibra de carbono existentes nas rodas.

 

O pequeno volante desportivo forrado a couro apresenta elementos metálicos. No tabliê encontram-se os motivos recorrentes da nova linguagem de design da Opel: a "asa" e a "lâmina". Nesta execução, o tema da lâmina integra-se em detalhes como a forma dos manípulos das portas em crómio polido e a base da alavanca de mudanças. O elemento de design em forma de asa é imediatamente visível no tabliê que envolve os ocupantes dos bancos dianteiros. Este descreve um arco no habitáculo até à parte superior das molduras das portas.

 

A equipa de design da Opel utilizou couro e microfibras nos bancos, alcatifas no piso e material texturado no tabliê. Estes materiais clássicos possuem, ainda assim, uma face contemporânea, não apenas na escolha das tonalidades mas também no esquema positivo/negativo dos revestimentos.

Engenharia alemã cria motor 2.0 com 290 cv

Seguindo a estratégia da Opel de optar por motores sobrealimentados para obter uma performance mais eficiente, o GTC Paris é propulsionado por uma unidade turbo twin4 scroll de baixa cilindrada, com 4 cilindros distribuição variável e injecção directa de combustível. Este potente motor debita nada menos que 290 cv. A transmissão é feitas às rodas dianteiras através de um diferencial autoblocante que contribui para controlar a tracção sem limitar a entrega de binário.


Apesar das elevadas performances, a responsabilidade ambiental não foi esquecida: a tecnologia Start/Stop reduz as emissões e ruídos no tráfego urbano, contribuindo para a frugalidade do GTC Paris sem comprometer o seu carácter desportivo.

Tecnologia inovadora reforça a performance

A tecnologia de topo da Opel para modelos compactos é levada ao seu nível mais desportivo neste concept car.

 

O chassis apresenta uma configuração especial com vias extra-largas para maximizar o comportamento dinâmico em estrada. Para além do diferencial autoblocante integrado na transmissão, o GTC Paris está dotado da elogiada suspensão traseira na traseira com paralelogramo de Watt - um exclusivo da Opel - e uma nova versão da suspensão FlexRide de controlo electrónico.

 

A evoluída suspensão traseira com os braços Watt permite usufruir da dinâmica e do elevado conforto já aclamados no actual Astra.

 

Mantendo as vantagens de dimensões compactas, baixo peso e eficiência global do eixo de torção composto traseiro relativamente à configuração multilink clássica, a arquitectura com a ligação Watt adicional suporta melhor as forças laterais exercidas na suspensão. Esta configuração garante igualmente dinamismo e agilidade ao automóvel sem comprometer a estabilidade e o conforto.

 

O GTC Paris está ainda equipado com o sistema de suspensão adaptativa FlexRide, que se ajusta continuamente às alterações do tipo de condução e às condições do piso. O FlexRide optimiza o trabalho da suspensão, com evidentes benefícios também em matéria de segurança, uma vez que aumenta a estabilidade em todas as circunstâncias.

 

No seu conjunto, este tipo de equipamentos permite ao desportivo e compacto GTC Paris traduzir em realidade o dinamismo que o design transmite.