Newsletter Opel

Newsletter Opel

Receba as últimas informações sobre a Opel e os produtos e serviços Opel diretamente na sua caixa de correio eletrónico.

Registe-se agora!

RAK-E: 'CARRO UM EURO' REVELADO EM FRANKFURT.

Revelação da Opel no Salão de Frankfurt.

14/Set/2011

  • Necessidade de energia dez vezes inferior à de um utilitário moderno;
  • Peso: um terço de um utilitário;
  • Utilização e custos: painel solar no telhado da garagem pode ser o suficiente.
Opel RAK-e

Custos energéticos, eficiência e peso são temas em destaque no Salão Internacional de Frankfurt deste ano.

 

A Opel é uma das marcas no centro das atenções ao apresentar um novo conceito de veículo eléctrico a bateria. O RAK e abre um novo capítulo em matéria de mobilidade eléctrica e alarga o horizonte pioneiro da Opel em sistemas de motorização alternativos.

 

O radical RAK e destaca-se com custos mínimos de energia (um euro para 100 km), um terço do peso de um automóvel utilitário moderno e velocidade máxima de 120 km/h.

 

«Queremos criar automóveis eléctricos acessíveis a todos. O princípio de extensão de autonomia do Ampera demonstra a nossa liderança em mobilidade eléctrica. Por seu turno, o RAK e pretende ser tão acessível que até os muito jovens o poderão comprar e utilizar. Este veículo experimental tem potencial de produção. No futuro, a eficiência vai ser medida em euros e não em litros aos cem. Hoje, é com orgulho que apresentamos o nosso ‘Carro Um Euro’», disse Karl-Friedrich Stracke, CEO da Opel, na estreia do RAK e em Frankfurt.

Opel RAK-e

O conceito de construção de baixo peso do RAK e baseia-se numa estrutura de aço sob painéis de materiais sintéticos convencionais. Esta concepção permite alcançar níveis elevados de segurança e custos de produção controlados.

 

Na sua filosofia de design de baixo peso, a Opel evita a utilização de materiais compósitos dispendiosos, conseguindo tornar a mobilidade eléctrica acessível ao maior número de pessoas possível.

 

O nome RAK e evoca o espírito pioneiro de Fritz von Opel e o seu revolucionário automóvel propulsionado com foguetes. Em 1928, com o neto do fundador da empresa, Adam Opel, ao volante, o RAK 2 alcançou a velocidade máxima de 228 km/h. O ‘e’ assinala o facto de se tratar de um veículo eléctrico e regista simultaneamente o seu cariz experimental.

 

«O RAK e incorpora muita da nossa experiência na área da mobilidade eléctrica, nomeadamente aquela que acumulámos durante o desenvolvimento do Ampera», explica Mark Adams, Vice-Presidente da Opel para o Design. «Este conceito futurista pretende criar um novo tipo de automóvel eléctrico. Trata-se da nossa perspectiva sobre o que poderá ser ‘O meu primeiro Opel eléctrico’ num cenário futuro de mobilidade eléctrica. Estamos muito curiosos para avaliar a reacção dos visitantes do salão.»

Opel RAK-e

Design: inovação e funcionalidade

A carroçaria do RAK e é feita de materiais sintéticos recicláveis. O habitáculo, com dois lugares dispostos em fila tandem, possui uma vasta superfície vidrada que oferece grande visibilidade a ambos os ocupantes. O banco dianteiro e os apoios de braços, bem como a coluna de direcção, deslocam-se para a frente para facilitar o acesso ao habitáculo, numa acção que pode ser comandada através de um ‘smart phone’. Os pedais e a coluna de direcção ajustam-se à estatura do condutor.


O visual original deste veículo experimental sobressai com componentes do chassis que estão à vista, tais como os discos de travão integrados nas rodas e o braço de suspensão traseiro, cujo conceito deriva de uma moto. As rodas traseiras conferem ao RAK e uma agilidade invulgar, graças à via de apenas 600 mm.

Opel RAK-e

O 'Carro Um Euro': mobilidade eléctrica com custos mínimos

O visual do RAK e reflecte os objectivos que nortearam a sua concepção: dinamismo, peso baixo e eficiência optimizada, tudo aliado à máxima simplicidade. Este Opel pretende apelar a jovens, defensores do ambiente ou adeptos de tecnologia, para quem a aparência moderna de um automóvel eléctrico é tão importante como o baixo consumo de energia.


Com cerca de três metros de comprimento e 120 mm de altura, o aerodinâmico RAK e garante mobilidade com emissões zero e custos mínimos de utilização. A bateria recebe uma recarga completa em três horas, por um custo de cerca de um euro, oferecendo uma autonomia de cerca de 100 quilómetros.


Este desempenho eficiente resulta de uma combinação de peso reduzido do conjunto, área frontal mínima, baixa resistência ao rolamento e um sistema de motorização eléctrica extremamente eficiente.


O consumo energético por ocupante é dez vezes inferior ao de um automóvel utilitário económico. O tabliê integra um indicador da carga da bateria e da localização do posto de recarregamento mais próximo, bem como um sistema de infoentretenimento e os comandos do sistema de aquecimento e arrefecimento do habitáculo.

Opel RAK-e

Dirigido a jovens

O conceito do RAK e, que prevê um vasto leque de opções de personalização, com cores, materiais e formas variados, está claramente dirigido a utilizadores jovens, «um grupo para o qual nós temos mais novas ideias do que nunca», afirma Mark Adams. Dependendo da legislação, em alguns países o RAK e poderia ser conduzido por jovens a partir de 16 anos, desde que a velocidade do veículo estivesse limitada.


Com apenas 380 kg, o RAK e pesa cerca de um terço do total de um automóvel utilitário actual. O diâmetro de viragem não ultrapassa 5,5 metros, o que tornaria este tipo de automóvel no meio de transporte ideal para a cidade. A velocidade máxima projectada para o RAK e é de 120 km/h, cumprindo a aceleração de 0-100 km/h em cerca de 13 segundos.


Isto quer dizer que a filosofia da Opel para a mobilidade citadina não exclui a utilização em auto-estrada. O RAK e requer muito pouca energia para este nível de desempenho. A potência máxima é de 36,5 kW (49 cv), estando 10,5 kW (14 cv) disponíveis em permanência. Os 5 kWh de capacidade da bateria permitem obter uma autonomia de 100 km/h. Na correspondência com consumo de gasolina, isso representaria apenas 0,6 l/100 km. Num ano, percorrida uma distância total de 10.000 km, o consumo de energia seria de uns modestos 525 kWh. E para fornecer esta quantidade de energia, bastaria um painel solar de cinco metros quadrados com a potência de 100 W.