Newsletter Opel

Newsletter Opel

Receba as últimas informações sobre a Opel e os produtos e serviços Opel diretamente na sua caixa de correio eletrónico.

Registe-se agora!

OPEL LANÇA NOVO MOTOR 1.7 CDTI DE 130 CV NA GAMA ASTRA GTC.

2/Abr/2012

  • Novo Astra GTC turbodiesel com motor 1.7 CDTI de 130 cv, por 27.850 euros;
  • Coupé desportivo compacto com habitáculo espaçoso para cinco passageiros;
  • Suspensão dianteira HiPerStrut de elevado desempenho dinâmico.
Opel Astra GTC 1.7 CDTI

A Opel lançou uma das versões mais aguardadas do novo Astra GTC, equipada com o motor turbodiesel 1.7 CDTI com 130 cv de potência. O coupé desportivo da Opel passa a contar com um propulsor que se destaca ainda mais na economia de combustível, mantendo as características dinâmicas do modelo. Capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 10,8 segundos e de garantir recuperações vigorosas em qualquer regime de rotações, este novo Astra GTC apresenta um consumo médio de apenas 4,5 litros de gasóleo a cada 100 km.

 

Tal como todos os Astra GTC, a nova versão 1.7 CDTI garante um comportamento ímpar em estrada, com elevada precisão, graças à conjugação da suspensão dianteira específica HiPerStrut com o eficaz eixo traseiro com articulação de Watt. A suspensão HiPerStrut (High Performance Strut) é utilizada com frequência em desportivos de topo de gama, como por exemplo o Insignia OPC, colocando o desempenho dinâmico num patamar superior.

 

O motor 1.7 CDTI que equipa o novo Astra GTC debita 130 cv de potência e disponibiliza um elevado binário máximo de 300 Nm que é constante numa faixa entre as 2000 e as 2500 rpm. A nova gestão eletrónica do motor, desenvolvida de raiz pelos engenheiros da Opel, gere a interligação entre a injeção common-rail de alta pressão (1800 bar) e o turbocompressor de geometria variável com sensor de posição das pás da turbina. Este componente cumpre dupla missão ao garantir o desempenho enérgico do motor, em qualquer regime de rotação, assegurando elevado nível de eficiência. O balanço, beneficiado também pela inclusão da tecnologia Start/Stop que desliga automaticamente o motor quando o automóvel está parado, resume-se a emissões de apenas 119 g/km de CO2 e um consumo médio de 4,5 l/100 km.

 

O Astra GTC 1.7 CDTI é proposto ao preço de 27.850 euros e possui equipamento de série completo que contempla jantes de liga leve de 18 polegadas, bancos dianteiros desportivos, ar condicionado com comando eletrónico bi-zona, computador de bordo, sensores de luz e chuva, e programador de velocidade, entre outros. No capítulo da segurança, o novo Astra GTC integra de série airbags frontais, laterais e de cortina para condutor e passageiro, e programa de controlo eletrónico de estabilidade ESP Plus.

 

Com a chegada da versão 1.7 CDTI, a gama Astra GTC passa a contar com quatro motores, todos sobrealimentados. Nas opções a gasolina figuram o 1.4 Turbo com 140 cv e 1.6 Turbo com 180 cv. Nos turbodiesel, para além do novo 1.7 CDTI, a gama é coroada pelo 2.0 CDTI com 165 cv. Já no verão chegará o novo Astra OPC. Esta versão de topo de gama será equipada com um motor 2.0 Turbo capaz de debitar 280 cv, tornando-se no Astra mais potente de sempre.

Opel Astra GTC 1.7 CDTI

Design único

O GTC é a variante Astra com estética e comportamento dinâmico mais apurados. Ocupa uma posição destacada na gama de modelos da Opel, já que apesar das semelhanças com os outros Astra, o GTC é dono de um design único.

 

Por comparação com a versão de cinco portas, todos os elementos exteriores da carroçaria são diferentes, à exceção das caixas dos retrovisores exteriores e da antena.

 

O desenho das jantes é outro contributo para a identidade própria do GTC. Todas as versões podem estar equipadas com medidas de 18 a 20 polegadas de diâmetro e desenho diferenciado das restantes versões Astra.

 

No interior, apesar de se tratar de um coupé, o habitáculo oferece espaço para acomodar confortavelmente cinco passageiros.

Opel Astra GTC 1.7 CDTI

HiPerStrut - suspensão dianteira específica no Astra GTC

A integração da suspensão HiperStrut no modelo Astra GTC foi alvo de apurado programa de desenvolvimento. Esta suspensão dianteira exclusiva estava até aqui apenas reservada a automóveis desportivos de topo de gama, como é o caso do Insignia OPC, oferecendo melhorias significativas no comportamento dinâmico.

 

A suspensão HiPerStrut permite reduzir o ângulo de pivô da direção (‘king pin’ - inclinação do conjunto mola/amortecedor face à vertical) em 44 por cento e a distância entre a torre da suspensão e o centro da roda em 46 por cento relativamente aos modelos equipados com estruturas tradicionais McPherson.

 

Esta configuração contribui para reduzir as reações da direção ao binário que o motor aplica nas rodas - um handicap frequente em automóveis de tração dianteira de potência elevada. A configuração HiPerStrut dá maior sensibilidade e precisão à direção já que a forquilha que sustenta o conjunto da manga de eixo separa o movimento direcional das rodas de toda a torre de suspensão.

 

A suspensão HiPerStrut permite ainda ganhos assinaláveis em aderência com a redução das variações de camber em curva. Outra das vantagens da nova suspensão é permitir a montagem de jantes até 20 polegadas de diâmetro.

 

A altura da carroçaria ao solo do GTC foi reduzida entre 10 a 15 mm em relação à variante com cinco portas. As vias dianteira e traseira são mais largas, passando agora a medir 1584 mm (mais 40 mm) e 1588 mm (mais 30 mm), respetivamente. Também a distância entre eixos sofreu um aumento de 10 mm, para 2695 mm.

Suspensão traseira com eixo composto de torção e paralelogramo de Watt

O sistema de suspensão traseira do Astra GTC, já conhecido de outras versões Astra, combina um eixo composto de torção com articulação de Watt. O sistema foi adaptado tendo como objetivo aumentar a resistência ao rolamento lateral e baixar o centro de gravidade. Esta configuração é imune a forças laterais e reduz a variação do camber das rodas em todo o curso da suspensão. Outras vantagens estão no peso reduzido e nas dimensões compactas.

 

O sistema consiste numa articulação central onde estão ligadas, através de rótulas, os tirantes laterais de controlo das rodas. A ancoragem da estrutura Watt no chassis está posicionada ao centro, imediatamente atrás da linha de eixo das rodas traseiras.

 

Na estrada, os tirantes do ‘link’ Watt mantêm um controlo rigoroso das rodas ao longo do curso da suspensão, resistindo com grande eficácia às cargas laterais e aos impactes provocados pelo piso. Através da ação do pivô e das barras, quando é aplicada uma força a qualquer das rodas traseiras é aplicada simultaneamente à outra roda uma força igual na direção oposta. Isto previne eficazmente qualquer movimento lateral do eixo. Este sistema absorve cerca de 80 por cento de todas as cargas laterais na suspensão traseira.

 

Uma vantagem adicional do ‘link’ Watt reside no facto de este reduzir as cargas nos pontos de apoio do eixo de torção, permitindo assim a utilização de casquilhos mais macios. É por essa razão que o conforto da suspensão e o isolamento de ruídos apresentam grandes melhorias. Por último, mas não menos importante, a articulação Watt permite ainda criar uma melhor configuração da geometria dos braços longitudinais de controlo da suspensão.

 

O chassis do Astra GTC foi concebido para integrar na perfeição o sistema de controlo eletrónico da suspensão FlexRide. Este sistema melhora o conforto, o comportamento em estrada e favorece uma melhor resposta da direção ao adaptar-se automaticamente às condições do piso, à velocidade em curva, aos movimentos da carroçaria e ao tipo de condução adotado. O controlo FlexRide permite que o condutor opte por três modos de funcionamento diferentes, alterando o carácter da suspensão, bastando para tal premir apenas uma tecla na consola. Os modos de funcionamento são o “Standard” automático, o “Tour” mais orientado para o conforto ou o modo “Sport” mais dinâmico.

Direção assistida elétrica EPS

Graças ao sistema de pinhão e cremalheira, com assistência variável de acordo com a velocidade, o Astra GTC proporciona ao condutor maior sensibilidade na direção. O motor elétrico de assistência da direção está montado diretamente na barra de direção, deixando de estar instalado na base da coluna de direção.

 

A utilização da direção assistida elétrica (EPS) trouxe os benefícios já conhecidos de outros modelos da gama Opel. A baixas velocidades, o índice de assistência aumenta para minimizar o esforço aplicado pelo condutor ao volante, reduzindo-se progressivamente com a velocidade para transmitir maior sensibilidade direcional.

 

Este sistema de direção elimina o funcionamento constante de uma bomba servo hidráulica, ativando apenas a assistência elétrica quando solicitada, permitindo reduções sensíveis do consumo de combustível através da gestão mais eficiente da energia.