Newsletter Opel

Newsletter Opel

Receba as últimas informações sobre a Opel e os produtos e serviços Opel diretamente na sua caixa de correio eletrónico.

Registe-se agora!

O novo Astra e o conceito de baixo peso

27/Ago/2015

  • Nova geração Astra está até 200 quilos mais leve
  • Arquitetura completamente nova pensada para a máxima eficiência
  • Motores construídos em alumínio contribuem para a redução de peso
  • Habitáculo mais espaçoso numa carroçaria mais esguia
Novo Opel Astra e o conceito de baixo peso

Na comparação com o anterior modelo, a nova geração Astra vai ser mais leve e mais compacta, mas oferecerá, ao mesmo tempo, um habitáculo mais generoso. No novo Astra tudo foi concebido à luz do conceito de máxima eficiência.

 

Todos os componentes e elementos de ‘design’ estão alinhados com este princípio, o que resulta em soluções evoluídas de ‘packaging’.

 

A nova geração deste ‘bestseller’ dos familiares compactos, que vai fazer a sua estreia mundial no Salão de Frankfurt já em setembro, baseia-se numa arquitetura totalmente nova.

 

A carroçaria é percetivelmente mais esguia e as motorizações são constituídas em exclusivo por motores da mais recente geração Opel, construídos em alumínio e otimizados em termos de peso, rendimento e emissões de CO2. Por comparação com o antecessor, o novo Astra apresenta reduções de peso até 200 kg.

Nova arquitetura e construção com materiais mais leves

Novo Opel Astra e o conceito de baixo peso

O visionário protótipo Monza Concept, apresentado em 2013 no Salão de Frankfurt, serviu de modelo de inspiração para esta décima primeira geração de modelos ‘compactos’ da Opel. De acordo com as mais recentes prioridades traçadas pela Opel para o desenvolvimento de novos modelos, cada componente do Monza Concept refletia o lema de máxima eficiência.

 

O novo Astra realiza esta visão de forma coerente. Dependendo do modelo e do nível de equipamento, o Astra será no máximo 200 quilos, e no mínimo 120 quilos, mais leve que o antecessor.

 

A nova arquitetura, sujeita a “dieta” desde o primeiro esboço, desempenha um papel decisivo nesta redução de peso: só a carroçaria (painéis de chapa) e a estrutura pesam menos 20 por cento que as atuais, ou seja, passam de 357 para 280 quilos.

 

Na conceção dos componentes da suspensão e dos travões, os engenheiros pouparam mais 50 quilos. Contribuíram para este resultado os aços ultrarresistentes de baixo peso, os quadros auxiliares mais compactos e os novos desenhos das pontes dianteira e traseira. Os engenheiros decidiram-se ainda contra painéis integrais na parte inferior da carroçaria. Em contrapartida, otimizaram a aerodinâmica dos elementos da suspensão e do compartimento do motor. Isto representa menor peso e redução dos custos de produção, com naturais reflexos na competitividade do preço final no mercado.

 

Outras medidas de otimização das dimensões e do peso incluem as projeções dianteira e traseira da carroçaria mais curtas, o sistema de escape com redução de peso até 25% - uma poupança de 4,5 kg só neste componente - e as jantes e pneus de menor diâmetro, que chegam a pesar menos 11,5 quilos no conjunto. O mesmo se aplica aos travões: como existe menos massa para desacelerar, foi possível encontrar uma configuração mais compacta, pesando menos 10 quilos do que na geração anterior, e apresentando até uma maior eficácia de travagem.

Perder peso: os motores dão o seu contributo

Novo Opel Astra e o conceito de baixo peso

Um outro dado essencial na vertente da eficiência são os motores da nova geração.

 

Distinguem-se pelo ‘design’ compacto e ultra-eficiente: por exemplo, o novo 1.4 ECOTEC Turbo de injeção direta, que faz estreia absoluta no Astra, pesa muito menos do que as atuais unidades equiparáveis. Só o bloco em alumínio pesa menos 10 kg que o bloco de ferro fundido do anterior 1.4 Turbo. Graças à conceção moderna, também as transmissões da mais recente geração dão um contributo precioso para poupar peso.

 

A redução de peso traduz-se também em maior agilidade e em dinâmica mais apurada.

 

O novo Astra dá mais prazer de conduzir que nunca, ao mesmo tempo que garante reduções consideráveis em consumo de combustível e emissões de CO2. Equipado com o novo 1.0 Turbo e transmissão Easytronic 3.0, o Astra torna-se num dos modelos a gasolina mais económicos e menos poluentes do seu segmento. Esta nova motorização de três cilindros com 105 cv de potência reduz o consumo em ciclo misto para 4,2 litros/100 quilómetros e as emissões de CO2 para um exemplar valor de 96 g/km.

 

O habitáculo também foi desenhado sob rigorosos princípios de baixo peso. Tomemos como exemplo os bancos: após cinco anos de trabalho minucioso, a equipa de desenvolvimento apresentou bancos mais funcionais e confortáveis, caracterizando-se simultaneamente por economizarem de espaço e pesarem menos. Os progressos em todas estas vertentes foram possíveis graças a novos métodos de cálculo de ‘packaging’, a espumas de poliuretano mais leves e aos aços de alta resistência incorporados sob os confortáveis estofos dos bancos. Com isto, os bancos dianteiros e traseiros do novo Astra pesam menos cerca de dez quilos que no modelo anterior.

Packaging inteligente:
mais espaçoso por dentro apesar de mais pequeno por fora

Novo Opel Astra e o conceito de baixo peso

O novo Astra é mais compacto que o antecessor.

 

Com um comprimento total de 4,37 metros, é cerca de 5 cm mais curto que o anterior modelo; por seu turno, a altura de 1,48 m representa menos 2,5 cm e a largura de 1,81 m menos 0,5 cm. Estas dimensões têm, naturalmente, reflexos na redução de peso.

 

Ao mesmo tempo, há mais espaço disponível no habitáculo. A par de bancos redesenhados, que são mais compactos e mais leves, os passageiros de trás passam a beneficiar de um acréscimo de 35 mm no espaço para as pernas. Isto posiciona o novo modelo da Opel à cabeça da concorrência.

 

Por outro lado, a distância entre a primeira e a segunda fila de bancos aumenta 1,5 cm, reforçando significativamente a volumetria e, logo, o conforto em viagem.

 

O mesmo se pode dizer da liberdade de movimentos ao nível do tronco e cabeça para os ocupantes dos bancos dianteiros e traseiros. Especialmente em termos de altura livre, o novo Astra define novos padrões na sua categoria: o condutor dispõe de mais 2,2 cm de altura livre que no modelo anterior.

 

Em resumo, o Astra praticamente consegue a quadratura do círculo: é mais leve e mais compacto, oferecendo, por contraponto, mais espaço e mais conforto do que antes.