Newsletter Opel

Newsletter Opel

Receba as últimas informações sobre a Opel e os produtos e serviços Opel diretamente na sua caixa de correio eletrónico.

Registe-se agora!

Novo Opel Insignia
equipado com motores da mais recente geração

16/Fev/2017

  • Menor peso, maior espaço e mais eficiência;
  • Consumos inferiores no ciclo de testes WLTP, entre três a dez por cento;
  • Novas transmissões de baixo atrito, de seis (manual) e oito velocidades (automática);
  • Período de encomendas abre no início de Março.
Novo Opel Insignia

A Opel vai abrir os livros de encomendas do novo modelo Insignia já no próximo mês de março. O novíssimo topo de gama da marca alemã destaca-se particularmente pelas inovações tecnológicas e pela elegância, com uma silhueta tipo-coupé que, simultaneamente, alcança um valor exemplar de coeficiente aerodinâmico CD de 0.26 na variante berlina. Com características superiores ao nível da dinâmica e da habitabilidade, o novo Insignia constitui um excelente valor e torna-se num forte concorrente no segmento dos familiares, mesmo entre modelos de marcas ‘premium’. Registe-se que o modelo da Opel está equipado de série com numerosos sistemas avançados de segurança e assistência à condução, incluindo o alerta de colisão iminente (com reconhecimento de peões), travagem automática de emergência, alerta de saída de faixa, sistema de manutenção de faixa (com correção automática da direção) e programador de velocidade automático. O elevado patamar de segurança alcançado neste topo de gama é corroborado por outros dispositivos avançados como o capô do motor ativo que providencia maior proteção de peões. Em evidência no equipamento de todos os Insignia estão também o ecrã tátil do topo da consola central e o sistema de fechaduras sem chave, entre muitos outros.


A segunda geração Insignia tem por base uma arquitetura totalmente nova. A berlina de cinco portas, denominada Grand Sport, pode pesar menos 175 kg do que o modelo anterior, consoante as versões. O mesmo é verdade para a variante ‘station wagon’ Sports Tourer, onde a redução pode ir até 200 kg. Esta diminuição substancial em massa e o novo sistema de direção, extremamente preciso, são fatores decisivos para que o novo Insignia revele qualidades superiores no plano da dinâmica em estrada. Papel igualmente importante desempenha a gama de motores de elevada eficiência e caixas de velocidades otimizadas quanto ao atrito, tudo concebido com o objetivo de garantir maior eficiência e menores custos com combustível. Na verdade, por comparação com as versões anteriores correspondentes, a Opel obtém reduções entre três e dez por cento nos consumos dos motores de maior volume de produção (a gasolina: 1.5 Turbo; a gasóleo: 1.6 CDTI) no ciclo de testes WLTP (Worldwide Harmonized Light-Duty Vehicles Test Procedure).


A Opel já havia anunciado em dezembro de 2015 que começaria a publicar valores de consumo baseados no ciclo WLTP para futuros modelos. Esta nova norma entrará em vigor no outono de 2017. Por comparação com o atual ciclo NEDC, os valores ficam mais alinhados com o desempenho em condições reais de utilização. A Opel iniciou com o modelo Astra, em junho de 2016, a divulgação de consumos e emissões de CO2 de acordo com a norma WLTP, a par dos dados oficiais NEDC. Estes números permitem a potenciais compradores obterem uma estimativa mais realista relativamente a consumos de combustível. Os testes que já foram realizados por prestigiadas publicações da especialidade automóvel, como a italiana Quattroruote, vieram demonstrar que os dados recolhidos pela Opel sob a norma WLTP aproximam-se, de facto, dos consumos na ‘vida real’.

No arranque: novo motor a gasolina e motores Diesel mais refinados

Novo Opel Insignia

A gama de motores do novo Insignia Grand Sport inicia-se com um motor a gasolina especialmente eficiente. O novo 1.5 Turbo surge em duas versões com patamares de potência distintos. A opção de 140 cv (consumos NEDC, Grand Sport: urbano 7,3 l/100 km, extraurbano 4,7 l/100 km, misto 5,7 l/100 km; 129 g/km CO2) sobressai com um elevado binário máximo de 250 Nm, constante entre 2000 e 4100 rpm. Contudo, a versão mais potente, com 165 cv (consumos NEDC, Grand Sport: urbano 7,0 l/100 km, extraurbano 4,9 l/100 km, misto 5,7 l/100 km; 130 g/km CO2) apresenta-se como aquela que deverá reunir a preferência da maioria que selecionar motorizações a gasolina. Se considerarmos a norma WLTP, quando comparado com o anterior 1.6 Turbo (170 cv), que já atingia elevados níveis de eficiência, o novo motor consegue fazer baixar consumos em cerca de três por cento, em média. Este 1.5 construído em alumínio, dotado de turbocompressor e injeção direta, coloca-se no topo hierárquico da família de motores de baixa cilindrada da Opel, formada por ultramodernos propulsores de três e quatro cilindros. O novo 1.5 Turbo impressiona com resposta pronta ao acelerador e ampla disponibilidade de binário em qualquer regime - duas características desde sempre muito elogiadas nesta linha dos motores mais recentes da Opel.

 

No novo Insignia também está em evidência o motor a gasolina topo de gama. Trata-se do 2.0 Turbo, que debita 260 cv de potência e oferece algo como 400 Nm de binário máximo constante entre 3000 e 4000 rpm (consumos NEDC, Grand Sport: urbano 11,5 l/100 km, extraurbano 7,0 l/100 km, misto 8,6 l/100 km; 197 g/km CO2). Este motor de quatro cilindros pode ter acoplada uma novíssima caixa automática de oito velocidades, capaz de proporcionar mudanças suaves. Este conjunto pode ser associado à sofisticada tração integral com vetorização de binário - um sistema inédito neste segmento de mercado. A tração integral da nova geração Insignia possui duas embraiagens multidiscos no lugar de um diferencial traseiro convencional, as quais conseguem fazer variar o débito de binário entregue a cada roda, de forma independente.

Novo Opel Insignia

A linha de motores e transmissões é composta ainda por uma nova caixa de seis velocidades destinada ao popular turbodiesel 1.6 CDTI, o qual surgirá ainda mais refinado e cuja oferta passará por versões de 110 cv (consumos NEDC, Grand Sport: urbano 4,6 l/100 km, extraurbano 3,6 l/100 km, misto 4,0 l/100 km; 105 g/km CO2) e 136 cv (consumos NEDC, Grand Sport: urbano 5,1 l/100 km, extraurbano 3,9 l/100 km, misto 4,3 l/100 km; 114 g/km CO2). Face ao anterior modelo, a combinação da nova caixa de baixo atrito com o 1.6 CDTI de 110 cv revela uma redução média de 10 por cento no consumo de gasóleo medido de acordo com a norma WLTP.

 

As motorizações do novo Insignia incluirão ainda um turbodiesel 2.0 CDTI com 170 cv de potência (consumos NEDC, Grand Sport: urbano 6,7 l/100 km, extraurbano 4,3 l/100 km, misto 5,2 l/100 km; 136 g/km CO2) que foi alvo de novas melhorias ao nível do refinamento e da suavidade de funcionamento.

 

A lista completa da gama e preços da nova geração Insignia será divulgada no início de março, quando arrancar o período de encomendas. A Opel apresentará os dados de consumo de combustível do novo Insignia de acordo com a futura norma de ciclo de testes WLTP e divulgará a tabela completa nos seus sítios de Internet dedicados ao público, no sentido de garantir a maior transparência.